jornnn

Audiência de conciliação deve definir o futuro da greve do transporte coletivo

 


Marcada para esta sexta-feira (12) na Justiça do Trabalho, o debate vai reunir sindicato, Consórcio Sorriso, prefeitura, entre outros convidados.

A Justiça do Trabalho marcou para a próxima sexta-feira, dia 12 de novembro, uma audiência de conciliação entre trabalhadores do transporte público coletivo e empresas que formam o Consórcio Sorriso, informou o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Foz do Iguaçu (Stiro-FI).

A greve, iniciada no dia 9, chega ao terceiro dia nesta quinta-feira (11), sem mudanças no panoramo. Os ônibus saem das garagens pela manhã, pegam os passageiros nos bairros e param no Terminal de Transporte Urbano (TTU), de onde saem somente no final da tarde. 

Os trabalhadores cobram o pagamento integal dos salários, reposição salarial e auxílio-alimentação. Somente uma das três empresas que formam o Consórcio Sorriso é que pagou integralmente os salários de outubro. Ainda é aguardada desde julho pela categoria, o julgamento do dissídio da pauta da greve anterior.

O Sitro-FI pede para que motoristas e cobradores cumpram o preceito legal da greve, mantendo uma porcentagem mínima de veículos em circulação, mas há um forte conceito entre os trabalhadores de não obedecer essa regra. 

Os prejuízos, segundo os trabalhadores, estão sendo de 40%, por conta do não pagamento da reposição da inflação e da cesta básica. Em 2021 já teve em Foz do Iguaçu, a mais longa greve do transporte coletivo da cidade, durando entre abril e julho deste ano. Foram 78 dias, terminando somente após a mediação da Justiça do Trabalho.

Porém, mesmo com o fim daquela greve, a pauta trabalhista não avançou entre sindicato e empresas. Assim como também não teve avanço o debate sobre melhorias no transporte coletivo para o usuário, o maior prejudicado nessas situações.

Postar um comentário

0 Comentários