jornnn

Vereadores iguaçuenses participam de Forúm contra o Fracking em Cascavel



Vários manifestantes partiparam do Fórum

O evento foi realizado no dia 11 de junho, na Câmara Municipal de Cascavel e contou com a presença de várias autoridades, como por exemplo os vereadores iguaçuenses Paulo Rocha e Nilton Bobato e foi fomentado pela diretoria da ACAMOP (Associação de Câmaras e Vereadores do Oeste do Paraná) na representação do presidente Amauri Ladwig.  Fracking a palavra estranha passou a fazer parte do vocabulário da região oeste. Desta vez, as explicações foram dadas em Cascavel, já que apesar de o termo estar sendo bastante falado ainda há poucas informações sobre o assunto.



O Fórum foi acompanhado por protestos contra a prática com foco nos danos ao meio ambiente. O fracking ou fraturamento hidráulico utiliza líquidos que provocam explosões nas rochas subterrâneas para a liberação do gás do xisto. O principal problema são as áreas escolhidas pela Agencia Nacional do Petróleo (ANP) para o leilão, feito no ano passado, todas com grande produção agrícola como a faixa oeste do estado, o que preocupa representantes do setor.

Ivo Pugnaloni - Palestrante

 Estudos de impacto ambiental são exigidos para que o método seja liberado. A Copel, que faz parte do consórcio prometeu que o fracking só será utilizado se não oferecer prejuízo aos bens naturais. A partir dessas informações, a comissão de agricultura e meio ambiente da Câmara, proponente do Fórum pretende que uma audiência pública sobre o assunto aconteça, com representantes de órgãos municipais, estaduais e federais.
O leilão foi dividido em vários lotes arrematados por um consórcio, o da região oeste está barrado. Os resultados do leilão foram suspensos ainda no mês de abril de 2014, após a justiça federal ter concedido uma liminar. O consórcio, no entanto, recorreu e agora aguarda a decisão em segunda instancia.
O palestrante acompanhou os primeiros passos para a entrada do método no Brasil há pouco mais de um ano. Engenheiro eletricista e ex-diretor de planejamento na Copel, ele aponta os efeitos devastadores que o fracking está tendo em outros países.

Vereador iguaçuense Paulo Rocha (PSB)

 "Em quanto estamos preocupados com nosso dia a dia, uma coisa muito maior está acontecendo às escuras, que  é este tal do fracking, ele está querendo vir para a nossa região, há suspeita de que poderá contaminar nossas águas, lavouras e animais, não podemos deixar que isto aconteça,” disse o representante iguaçuense vereador Paulo Rocha em discurso durante o Fórum.      






Jor. Marcos Cardoso




Outras imagens:




Ver. Paulo Rocha (Foz), ver. Menegatti (Cascavel) e Amauri Ladwig (Pres. ACAMOP)




Ver. Bobato (Foz)

Ver. Paulo Rocha (Foz)



Postar um comentário

0 Comentários