jornnn

Greca diz que começará a trabalhar a partir de hoje e com o consentimento republicano de Fruet

fotogreca_2

O prefeito eleito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), disse ontem em discurso que começaria a trabalhar hoje requisitando uma sala no IPPUC. Greca Também afirmou que vai se reunir com o governador Beto Richa para acelerar as parcerias, entre elas a reintegração do transporte coletivo de Curitiba com a Região Metropolitana.
“A prioridade da minha administração será a a saúde, primeiro a saúde, depois a melhoria da malha viária e a limpeza da cidade para evitar a dengue. Depois entram todos os projetos da minha gestão, como investir em novas energias”, disse Greca. Sobre a crise financeira da Prefeitura de Curitiba, Greca acredita que há dinheiro suficiente, mas que por isso quer começar logo a trabalhar para ter uma ideia melhor das finanças.
“Agradeço Curitiba pela votação imensa. Meu coração é curitibano e quero restaurar a qualidade do serviço público de Curitiba. Eu serei um prefeito qu e não vou dormir nunca e nem ficar se lamentando”.
Greca foi eleito com 53,25% dos votos neste domingo (30). Ney Leprevost (PSD) conseguiu 46,55%. Greca ficou na frente em todas as 10 zonas eleitorais. A maior diferença para Greca foi na zona 177, onde votam eleitores do Mossunguê, Bigorrilho e Batel.
No primeiro turno, Greca recebeu 38,38% dos votos válidos e Ney 23,66%. Já as abstenções, brancos e nulos, somaram 30,22% do total de eleitores da Capital.
O resultado foi considerado uma “virada”: depois de terminar o primeiro turno à frente, Greca penou na disputa contra Leprevost, um adversário inesperado, que entrou como azarão e deixou o atual prefeito, Gustavo Fruet (PDT), de fora. Ao longo do segundo turno, ele aparecia numericamente atrás de Leprevost nas pesquisas, embora em empate técnico. Mudou na última pesquisa Ibope, divulgada no sábado (29). E acabou vencendo a eleição. Neste domingo, ao votar, Greca chegou a se emocionar e disse ter sentimento de “dever cumprido”. No TRE (Tribunal Regional Eleitoral), eleitores e cabos eleitorais de Greca gritavam “Ô, o Rafael voltou”.

Postar um comentário

0 Comentários