jornnn

Centenas protestam contra invasões na UFPR na Praça Santos Andrade

protesto

Centenas de manifestantes estão concentrados em frente ao prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR) na Santos Andrade desde a manhã desta sexta-feira (4). Entre eles estão professores e alunos da instituição. Uma parte apoia as invasões contra a Medida Provisória que estalece uma reforma no ensino médio no país, e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que limita o aumento dos gastos públicos. Outra parte, liderada por professores, pedem a desocupação do prédio, que abriga o curso de Direito, Psicologia e outros. O clima é tenso. As informações são do Bem Paraná.

Na noite de quinta-feira (3), o prédio foi ocupado por estudantes universitários mascarados, acusados por estudantes de truculência. O prédio, inclusive, teve a porta principal fechada com correntes.
A UFPR marcou uma coletiva para as 14h desta sexta para comentar sobre as ocupações nos prédios da instituição.
A professora Vera Karam, diretora do Setor de Ciências Jurídicas da UFPR, falou à imprensa da reunião que teve com os alunos que ocuparam o prédio da UFPR. De acordo com ela, a maioria é alunos da instituoição e que não há sinais de depredação no prédio. Segundo ela, as reivindicações são as mesmas das ocupações das escolas e descartou qualquer uso da força para desocupação do prédio central ou de outras unidades da Federal. “Vamos negociar, vamos encontrar um meio termo. Há correntes que são a favor da causa, outros contra”, disse ela.
O Ocupa UFPR, que coordena o movimento de ocupações em oito prédios da UFPR, disse em nota que o prédio histórico é público e que pertencente à comunidade em geral e não apenas a alguns poucos cursos.
Até as 10h55 desta sexta-feira, o Ocupa Paraná não tinha divulgado um balanço das ocupações A Secretaria de Educação diz que atualmente são 122 escolas ocupadas em todo o estado. O índice representa 5,8% do total da rede.
(foto: Giorgia Prates)

Postar um comentário

0 Comentários