jornnn

Após vacina, mortes de profissionais da saúde por Covid-19 despencam

Levantamentos preliminares de casos e mortes por Covid-19 entre profissionais de saúde mostram que a vacinação da categoria, iniciada em janeiro deste ano, começa a surtir efeito.

Não há estudos conduzidos apenas com imunizados, e os parâmetros de avaliação divergem entre diferentes instituições, mas o avanço da imunização traz alento e esperança a quem trabalha na linha de frente do combate à doença.

O Conselho Federal de Medicina (CFM), por exemplo, aponta uma queda de 83% no número de médicos mortos em março, na comparação com janeiro, período em que grande parte dos profissionais de saúde começou a ser vacinada. Em janeiro, 59 profissionais morreram no país, confirme o CFM. Em fevereiro, o número caiu para 24 e, em março, foram apenas 10.

— São trabalhos muito iniciais, mas sinalizam um caminho de melhora, como ocorreu em outros países — diz Helena Carneiro Leão, vice-corregedora do CFM.

Queda no número de casos
No Ceará, um levantamento da Escola de Saúde Pública do estado concluiu que a vacinação fez despencar os casos de infecção nos profissionais de saúde após a aplicação das duas doses da vacina CoronaVac, impedindo que a segunda onda da pandemia se disseminasse entre a categoria.

Enquanto na população do estado foram notificados 32.768 casos entre 8 e 14 de março — 74,6% a mais do que no pico de 2020 —, entre os profissionais de saúde houve queda de 72%, com apenas 355 infecções registradas. No estado, 238 mil funcionários do setor (93,5% do total) já receberam as duas doses da CoronaVac.

Leia também: ‘Ministério não tem vara de condão para resolver todos os problemas’, diz Queiroga sobre falta de vacina contra Covid

Superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará, Marcelo Alcântara avalia que houve tempo para a imunização ocorrer antes da nova onda, no fim de fevereiro.

— Entre os profissionais de saúde não temos uma segunda onda, e a única diferença entre um grupo e outro é a vacinação. Isso é sinal de que a imunização funcionou muito bem —diz ele.

Em alguns estados é possível observar que a disseminação da doença entre profissionais de saúde está menor do que na população em geral. Em Pernambuco, enquanto os casos confirmados de Covid-19 entre trabalhadores na saúde caíram 9% em março em relação a janeiro, na população em geral houve alta de 27%.

VEJA LOCAIS DO RIO FORA DA REDE DE SAÚDE QUE ESTÃO APLICANDO VACINA CONTRA COVID-19
1 de 21

Mulher recebe vacina Coronavac contra o novo coronavírus na sede do Cacique de Ramos, um dos blocos carnavalescos mais tradicionais do Rio de Janeiro Foto: RICARDO MORAES / REUTERS
Mulher recebe vacina Coronavac contra o novo coronavírus na sede do Cacique de Ramos, um dos blocos carnavalescos mais tradicionais do Rio de Janeiro Foto: RICARDO MORAES / REUTERS
Homem é imunizado contra o novo coronavírus com a vacina CoronaVac, produzida pelo Butantan, maior produtor de vacinas da América Latina, em um centro de vacinação montado no complexo cultural Cidade das Artes, Zona Oeste do Rio de Janeiro Foto: MAURO PIMENTEL / AFP
Homem é imunizado contra o novo coronavírus com a vacina CoronaVac, produzida pelo Butantan, maior produtor de vacinas da América Latina, em um centro de vacinação montado no complexo cultural Cidade das Artes, Zona Oeste do Rio de Janeiro Foto: MAURO PIMENTEL / AFP
O sambista Monarco, de 87 anos, foi um dos primeiros a participar da vacinação no Sambódromo. A Velha Guarda das escolas de samba foram os primeiros a receber o imunizante no drive-thru na Avenida Marquês de Sapucaí Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo – 13/02/2021
O sambista Monarco, de 87 anos, foi um dos primeiros a participar da vacinação no Sambódromo. A Velha Guarda das escolas de samba foram os primeiros a receber o imunizante no drive-thru na Avenida Marquês de Sapucaí Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo – 13/02/2021
Museu do Amanhã começou a ser usado para aplicar vacina contra Covid-19 nesta quinta-feira (01) Foto: Marcos de Paula / Agência O Globo
Museu do Amanhã começou a ser usado para aplicar vacina contra Covid-19 nesta quinta-feira (01) Foto: Marcos de Paula / Agência O Globo
Planetário da Gávea foi o local do primeiro dia de vacinação por distinção de gênero, além da faixa etária. O resultado foi uma vacinação tranquila e sem filas Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo
Planetário da Gávea foi o local do primeiro dia de vacinação por distinção de gênero, além da faixa etária. O resultado foi uma vacinação tranquila e sem filas Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo
PUBLICIDADE
Idosa recebe dose da vacina contra a Covid-19, no Museu da República, o Palácio do Catete, na Zona Sul do Rio Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo
Idosa recebe dose da vacina contra a Covid-19, no Museu da República, o Palácio do Catete, na Zona Sul do Rio Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo
O prefeito Eduardo Paes participa da abertura do ponto de vacinação do Museu da Justiça, que funcionará no histórico Salão do Tribunal do Júri. Foto: Beth Santos / Divulgação Prefeitura / Agência O Globo
O prefeito Eduardo Paes participa da abertura do ponto de vacinação do Museu da Justiça, que funcionará no histórico Salão do Tribunal do Júri. Foto: Beth Santos / Divulgação Prefeitura / Agência O Globo
Vacinação no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, acontece no sistema drive-thru Foto: Gabriel de Paiva em 16-2-2021 / Agência O Globo
Vacinação no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, acontece no sistema drive-thru Foto: Gabriel de Paiva em 16-2-2021 / Agência O Globo
Iidosos sendo vacinados na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, no Leme, Zona Sul do Rio Foto: Márcia Foletto / Marcia Foletto
Iidosos sendo vacinados na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, no Leme, Zona Sul do Rio Foto: Márcia Foletto / Marcia Foletto
Campus da UFRJ da Praia Vermelha, na Urca, Zona Sul do Rio Foto: Guito Moreto / Agência O Globo
Campus da UFRJ da Praia Vermelha, na Urca, Zona Sul do Rio Foto: Guito Moreto / Agência O Globo
PUBLICIDADE
Casa Firjan, em Botafogo, Zona Sul do Rio Foto: Paula Johas / Firjan
Casa Firjan, em Botafogo, Zona Sul do Rio Foto: Paula Johas / Firjan
Jockey Club, na Gávea, Zona Sul do Rio Foto: Fernando Lemos / Agência O Globo
Jockey Club, na Gávea, Zona Sul do Rio Foto: Fernando Lemos / Agência O Globo
O luxuoso Fairmont Hotel, em Copacabana, Zona Sul do Rio Foto: Romulo Fialdini / Divulgação
O luxuoso Fairmont Hotel, em Copacabana, Zona Sul do Rio Foto: Romulo Fialdini / Divulgação
Primeiro Grupamento de Bombeiro Militar, no Humaitá. O prédio histórico é um dos pontos de vacinação da Zona Sul do Rio Foto: Denis Gahyva / Wikimapia
Primeiro Grupamento de Bombeiro Militar, no Humaitá. O prédio histórico é um dos pontos de vacinação da Zona Sul do Rio Foto: Denis Gahyva / Wikimapia
Quartel dos Bombeiros de Copacabana também também montaram postos de vacinação. Na foto, o quartel de Copacabana, na Rua Xavier da Silveira Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo
Quartel dos Bombeiros de Copacabana também também montaram postos de vacinação. Na foto, o quartel de Copacabana, na Rua Xavier da Silveira Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo
PUBLICIDADE
Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros, à Avenida Ayrton Senna, 2001, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio é uma das unidades militares do estado do Rio usadas na campanha de vacinação contra Covid-19 Foto: Reprodução / Internet
Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros, à Avenida Ayrton Senna, 2001, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio é uma das unidades militares do estado do Rio usadas na campanha de vacinação contra Covid-19 Foto: Reprodução / Internet
Sede do Tijuca Tênis Clube, na Rua Conde de Bonfim, 451 Foto: Marcos Ramos / 03-01-2019 / Agência O Globo
Sede do Tijuca Tênis Clube, na Rua Conde de Bonfim, 451 Foto: Marcos Ramos / 03-01-2019 / Agência O Globo
Estádio Nilton Santos, o Engenhão, no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio Foto: Guilherme Leporace / Agência O Globo
Estádio Nilton Santos, o Engenhão, no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio Foto: Guilherme Leporace / Agência O Globo
Maracanãzinho, ginásio no complexo do estádio do Maracanã, Zona Norte do Rio, pode se tornar um dos locais para se receber o imunizante contra Covid-19 Foto: Divulgação
Maracanãzinho, ginásio no complexo do estádio do Maracanã, Zona Norte do Rio, pode se tornar um dos locais para se receber o imunizante contra Covid-19 Foto: Divulgação
Píer Mauá, na Zona Portuária do Rio é um dos locais pretendidos pela prefeitura para a campanha de vacinação Foto: Ricardo Kurtz / Divulgação
Píer Mauá, na Zona Portuária do Rio é um dos locais pretendidos pela prefeitura para a campanha de vacinação Foto: Ricardo Kurtz / Divulgação
PUBLICIDADE
Marina da Glória também está nos planos do prefeito Eduardo Paes para realizar vacinação contra Covid-19
Marina da Glória também está nos planos do prefeito Eduardo Paes para realizar vacinação contra Covid-19
PUBLICIDADE

Na Bahia, os casos confirmados no estado cresceram 25,8% em março, se comparados a janeiro. Entre os profissionais de saúde, houve uma queda de 24,4%.

No Paraná, segundo dados da Secretaria de Saúde, em dezembro de 2020 os profissionais de saúde representavam 3,4% dos casos positivos. No dia 31 de março, correspondiam a 2,3% dos casos.

No Hospital das Clínicas de São Paulo, onde mais de 20 mil funcionários foram vacinados, houve redução de casos, com efetividade de até 73,8%. Na terceira semana de janeiro, quando começou a imunização, foram registrados 16,2 mil novos casos de Covid-19 na cidade, enquanto no complexo hospitalar, houve 51. Na última semana de março, os casos no município alcançaram 23,9 mil, mas no HC foram 46. Segundo o hospital, sem a vacina, o número poderia ter ultrapassado 175.

No hospital Sírio Libanês, houve redução de 30% no absenteísmo — ausências ou afastamentos — de funcionários da linha de frente, por Covid-19 ou síndromes gripais, se comparados os períodos pré e pós imunização.

— É uma redução sensacional, pois aumentamos a presença de pacientes, de colaboradores, e, ainda assim, reduzimos o afastamento — afirma Octávio Augusto Camilo de Oliveira, Coordenador Médico da Saúde do Colaborador.

Segundo ele, de janeiro para cá, o hospital ampliou o número de leitos dedicados a pacientes com Covid-19 e contratou 900 funcionários.

PUBLICIDADE

Na Santa Casa de Araraquara, município paulista onde 93% dos casos são da variante brasileira P.1 do vírus, levantamento com 980 profissionais de enfermagem e apoio, excluindo médicos e residentes, mostrou apenas dois casos desde 10 de março passado.

É preciso lembrar que, em média, no caso da CoronaVac, o sistema imune produz anticorpos suficientes apenas a partir do 15º dia da aplicação da segunda dose.

— Houve redução drástica de novas infecções depois da imunização. Isso demonstra a efetividade da vacina, principalmente num grupo de risco, que são os que lidam com os casos mais graves da doença — diz Rogério Bartkevicius, diretor geral da Santa Casa.

Transmissão: Em 12 semanas, variante P.1 foi de 0% a 91% dos casos de Covid-19 em São Paulo

Dados do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), porém, ainda não refletem queda no número de óbitos da categoria. Nos três primeiros meses do ano, foram 275 mortes — uma média de 91,6 casos por mês. Em 2020, segundo Eduardo Fernando de Souza, coordenador do Comitê Gestor de Crise do Cofen, foram 468 óbitos.

— O adoecimento é maior do que o ritmo da vacinação. Temos profissionais de enfermagem sendo vacinados ainda. O desrespeito ao isolamento social expõe a categoria. Se a população adoece, os enfermeiros adoecem junto — critica Souza.

Efeito em idosos
No Distrito Federal, as internações em UTI Covid para idosos com mais de 80 anos apresentaram queda de 59% em abril, quando comparadas com janeiro, segundo a Secretaria de Saúde.

No Rio Grande do Sul, houve redução em março (678 internados) em relação a fevereiro (932), mas janeiro teve o menor número: 609.

Postar um comentário

0 Comentários