jornnn

Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu é contra a reabertura da estrada do Colono

O Centro de Direitos Humanos e Memória Popular, vem por meia dessa Nota Pública, alertar para o perigo que representa para o Parque Nacional do Iguaçu, o projeto de construção de uma estrada cortando a Unidade de Conservação de Biodiversidade.

O Projeto Legislativo, que tramita na Câmara dos Deputados, com o sugestivo nome de “Estrada Parque”, nada mais é do que a implementação de um ambicioso desejo empresarial de construir uma rodovia ligando o Mato Grosso do Sul ao Rio Grande do Sul.
Alegar aproveitamento do antigo traçado do “Caminho do Colono”, é mais um absurdo, que só pode partir de pessoas que colocam seus lucros acima da vida. E por falar em vida, vale lembrar que a vegetação e a biodiversidade que a envolve, foi recuperada em toda a extensão da estrada fechada pela Justiça em 2001. Rigorosamente, a vida voltou ao Parque Nacional do Iguaçu.
E foi exatamente devido a sua integridade e importância para o Planeta, que a Unesco, concedeu ao PNI, em 1986, o título de patrimônio da Humanidade.
O Parque Nacional do Iguaçu é uma das últimas reservas de Mata Atlântica e a sua preservação é uma questão de vida. Além disso, o projeto que tramita na Câmara dos Deputados encontra-se em discordância com a lei que regula o sistema nacional de unidades de conservação, que não reconhece qualquer conceito de “Estrada Parque”
Por isso, o CDHMP soma-se aos clamores que repudiam qualquer tipo de atentado a integridade do Parque Nacional do Iguaçu.

Foz do Iguaçu, 15 de junho de 2021

Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu

Postar um comentário

0 Comentários