jornnn

Paraná recebe mais de 145 mil doses em maior lote de vacinas da Pfizer enviado ao Estado

 

As vacinas da 23ª Pauta de Distribuição chegam ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, às 22h15.


O Paraná deve receber nesta segunda-feira (7) mais 145.080 doses de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech. Este é o maior lote do imunizante já enviado ao Estado. As vacinas da 23ª Pauta de Distribuição chegam ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, às 22h15. Logo em seguida as doses serão encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar).

Foto: Américo Antonio/SESA

O Ministério da Saúde orienta, por meio de Informe Técnico, que as vacinas sejam destinadas à primeira dose nos grupos de pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidade e pessoas com deficiência permanente (86.964), trabalhadores de educação do ensino básico (42.264), forças de segurança/salvamento e forças armadas (1.483) e trabalhadores do transporte aéreo (182). O restante é da reserva técnica.


“Todo envio de vacinas é importante, principalmente neste momento de aumento no número de casos e internações pela Covid-19. Este novo lote será destinado à continuação da cobertura dos grupos prioritários, para que possamos avançar na vacinação em todo o Estado”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto."


O documento do Ministério da Saúde informa que, baseado no estudo de estabilidade da vacina, o período de armazenamento foi ampliado de cinco para 31 dias, à temperatura de 2º a 8ºC, “proporcionando facilidade de logística à rede de frio, tecnologicamente estruturada para atuação nesta faixa de temperatura”.

A Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI) orienta também que o transporte dos imunizantes seja realizado no período máximo de 12 horas, considerando a mesma temperatura.


DESCENTRALIZAÇÃO


Com essa remessa o Paraná chegará na marca de 360.360 doses da Pfizer. A orientação inicial do Ministério da Saúde recomendava que essas vacinas fossem distribuídas somente para as capitais, considerando as orientações específicas de armazenamento e aplicação. Desde o segundo envio, no entanto, o Estado tem descentralizado as doses para mais municípios.


Postar um comentário

0 Comentários