jornnn

Vereadores buscam informações para novo modelo de transporte em Foz


Ney Patrício (PSD) e Edivaldo Alcântara (PTB) visitaram cidades, onde o sistema é operado com seriedade, transparência e altos índices de aprovação pelos usuários.

Vereadores buscam informações para novo modelo de transporte em Foz

O presidente da Câmara Municipal, Ney Patrício e o relator da Comissão de Transporte, vereador Edivaldo Alcântara cumpriram agenda oficial nos últimos dois dias, na Região Metropolitana de Curitiba.

Na pauta visitas em Fazenda Rio Grande e Araucária para trazer informações sobre o sistema de transporte, com altos índices de aprovação, nas duas cidades.

Os dados coletados pelos vereadores serão utilizadas em relatório da Comissão Especial de Transporte, composta ainda pelos vereadores Jairo Cardoso (DEM) e Anice Gazzaoui (PL), e entregue ao prefeito Chico Brasileiro para estudo de um novo modelo de concessão em Foz.

Excelência no serviço

Os vereadores conheceram a empresa Leblon, uma das mais renomadas no setor. A operadora do transporte em Fazenda Rio Grande e região metropolitana possui excelência no serviço.

“Temos exemplo de um serviço prestado com excelência pela Leblon. A empresa já obteve certificação ISO 9001 e nesta pandemia, inclusive está higienizando os ônibus, demonstrando preocupação com usuários e funcionários. Uma realidade que mostra que é possível com uma gestão séria atender bem a população, o que não acontece em Foz”, afirmou Ney Patrício.

O vereador Edivaldo Alcântara destacou que o sistema de transporte de Fazenda Rio Grande, administrado pela Leblon, preza pela transparência e empatia pelos trabalhadores.

“A empresa não esconde números, pelo contrário, utiliza os dados financeiros do sistema de transporte público como marketing da boa gestão. Os funcionários recebem os salários em dia e possui acompanhamento no desempenho das atividades”, disse Alcântara.

Referência no país

Os vereadores também estiveram em reunião com o superintende em Transporte Coletivo de Araucária, Wilmer Jacó da Silva. A cidade ganhou destaque nacional por ter uma tarifa de R$ 2,10.

O custo da operação é composto pela arrecadação da tarifa e subsídio através do Município. Com ônibus em boas condições, Wi-Fi para passageiros e rotas inteligentes, que atendem a demanda da comunidade, “houve um aumento de 33 mil para 52 mil passageiros por mês, o que mostra a satisfação dos usuários, pois na maioria do país houve queda no número de pessoas que utilizam o transporte público nesta pandemia”, acrescentou Silva.

“Aqui, em Araucária, temos um exemplo de transparência de planilha, onde a prefeitura tem acesso ao custo, passageiros satisfeitos e trabalhadores valorizados. É possível Foz do Iguaçu ter um transporte semelhante com seriedade e compromisso com a população”, observou Edivaldo Alcântara.

Araucária está sendo atendida por uma empresa em modo emergencial. A licitação realizada pela prefeitura habilitou 3 novas empresas que irão operar a partir de julho.

Ney Patrício e Edivaldo Alcântara também visitaram a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) para tratar sobre custos e fiscalização das empresas responsáveis pelo transporte intermunicipal.


Diretoria de Comunicação - CMFI

Postar um comentário

0 Comentários