jornnn

Prefeitura de Curitiba aumenta medidas para proteger pessoas em situação de rua do frio

 

Prefeitura se prepara para ampliar atendimento e proteger pessoas em situação de rua. Foto: Ricardo Marajó/FAS
Prefeitura se prepara para ampliar atendimento e proteger pessoas em situação de rua. Foto: Ricardo Marajó/FAS

 

Com a previsão de chegada de uma massa de ar polar à cidade que vai fazer as temperaturas despencarem abaixo de zero grau, a partir da madrugada desta quarta-feira (28/7), a Prefeitura de Curitiba está adotando medidas para ampliar o atendimento às pessoas em situação de rua e garantir que todas possam se proteger do frio.

Nas regionais Matriz - que concentra 68% da população em situação de rua em Curitiba -, Santa Felicidade e Boqueirão serão abertas 150 vagas emergenciais de acolhimento. “Elas serão acionadas, caso a adesão aos serviços aumente e todas as 1.635 vagas existentes hoje sejam ocupadas”, explica o presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Fabiano Vilaruel, que coordena os serviços da assistência social no município.

Nos próximos dias, os veículos da Guarda Municipal circularão pela cidade transmitindo uma mensagem que alerta as pessoas em situação de rua a procurarem os serviços de acolhimento do município ou ligarem para a Central 156 pedindo resgate social. A mensagem é um alerta também para o restante da população, para que comunique à Central 156, por telefone, computador ou pelo app Curitiba 156, sempre que encontrar ou avistar uma pessoa desprotegida na rua.   

“Precisamos proteger as pessoas em situação de rua e evitar que elas corram o risco de hipotermia, que pode ocorrer quando as temperaturas são iguais ou menores a 9ºC”, explica Vilaruel.

Ampliação da abordagem

Como acontece sempre que há previsão de baixas temperaturas, a FAS vai reforçar, a partir da noite desta terça-feira (27/7), os serviços de abordagem social e de acolhimento de pessoas em situação de rua, que já acontecem 24 horas por dia, sete dias na semana. A medida faz parte da Ação Inverno – Curitiba que Acolhe, que teve início no último dia 15 de maio.

O trabalho será ampliado das 18h às 24h, até a próxima sexta-feira (30/7), para que as pessoas sejam acolhidas antes das madrugadas, quando as temperaturas mínimas deverão variar entre -1ºC e 4ºC, de acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar).

Nos demais horários, o trabalho segue o cronograma de rotina orientado pela Central de Encaminhamento Social, que atende as demandas de toda a cidade 24 horas por dia.

Equipes nas ruas

Durante as ações intensificadas a FAS terá 19 equipes para percorrer a cidade em busca de pessoas em situação de rua e ofertar acolhimento nas unidades da Prefeitura. As equipes farão busca principalmente em roteiros já identificados e também atenderão às solicitações que chegam pelo 156.

Na Regional Matriz, as equipes farão busca no eixo histórico, desde as Ruínas São Francisco até a Praça Santos Andrade, Av. Sete de Setembro e nas ruas Marechal Deodoro e XV de Novembro.

Haverá busca também nas praças do Japão, Rui Barbosa, Espanha, Osório, Carlos Gomes, Tiradentes, Santos Dumont, Generoso Marques, 29 de Março, 19 de Dezembro. Os outros pontos mapeados são Rodoferroviária, Viaduto do Capanema, Mercado Municipal e Passeio Público.

Banho, comida e cama

Quem aceitar o convite dos educadores sociais para pernoitar nas unidades da FAS será levado para casas de passagem, unidades de acolhimento e repúblicas. Nessas unidades, além de camas para dormir e acesso a banho quente, os acolhidos recebem agasalhos e alimentação. Todos têm direito a levar seus pertences em bolsas ou mochilas.

Pessoas em situação de rua que têm animais de estimação também podem ser abrigadas nas casas de passagem Solidariedade, Santo Expedito e Rockfeller, onde há 18 vagas em canis e alimentação para os pets. O transporte dos animais é feito em caixas especiais.

Roupas masculinas

Por causa do frio, a FAS reforça o pedido por doações de roupas de inverno masculinas para a campanha Doe Solidariedade, desenvolvida pela Prefeitura.

Agasalhos, meias, cachecóis e gorros são as peças de maior necessidade e serão destinadas a homens que são atendidos nas unidades do município e que somam 90% das pessoas em situação de rua na cidade.

Postar um comentário

0 Comentários